Narrativas de educadoras matemáticas e atravessamentos de gênero: transgressões e (des)construções

Autores

Palavras-chave:

Estudos de gênero, História Oral, História da Educação Matemática

Resumo

Este estudo tem como objetivo analisar, com enfoque nas questões de gênero, trajetórias profissionais de educadoras matemáticas do estado do Paraná. A pesquisa, conduzida por meio da metodologia da História Oral, explora narrativas de oito educadoras, investigando os desafios e enfrentamentos relacionados às marcas de gênero em suas trajetórias. Além disso, o estudo enfatiza o aspecto político da escrita da história, especialmente quando se considera o papel das educadoras na desconstrução de normas de gênero pré-estabelecidas. A pesquisa aborda a Educação Matemática da perspectiva histórica, destacando o papel das educadoras na construção e desconstrução de ideias de feminino e gênero nesse contexto. O conceito de gênero como categoria de análise histórica foi empregado nas análises. Com isso, espera-se contribuir para um entendimento mais abrangente sobre histórias individuais e coletivas de educadoras matemáticas. Com as narrativas orais, percebemos na história da Educação Matemática uma área com potencial para produzir transgressões, construir ou desconstruir ideias de feminino socialmente impostas.

Referências

AKOTIRENE, C. Interseccionalidade: feminismos plurais. Editora Jandaíra. São Paulo, 2020.

ARROYO, M. Outros sujeitos, outras pedagogias. Petrópolis: Vozes, 2017.

BASSANEZI, C. Mulheres dos Anos Dourados. In: (Org.) PRIORE, Mary Del.História das Mulheres no Brasil. 3 ed. São Paulo: Contexto, 2000.

BEAUVOIR, S. de. de O Segundo Sexo: fatos e mitos. Volume 1. Editora Nova Fronteira. 5ª edição. Tradução de Sérgio Milliet. Edição comemorativa 70 anos. 2019.

BOLIVAR, A. B. ‘De nobis ipsis silemus?’: Epstemoligia de la investigaciónbiográfico-narrativa en educación. Revista Eletrónica de Investigación Educativa, vol. 11, n. 1. Barcelona, 2002. Disponível em: https://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1607-40412002000100003. Acesso em: 25 ago. 2023

CASTRO SIQUEIRA. MARCOLINO, A. M. SANTOS, A. O. Mulheres transexuais e travestis negras: vulnerabilidade, preconceito e discriminação. Debates en Sociología N° 52, 2021.

COSTA, S. G.. Gênero e História. In: ABREU, M.; SOIHET, R.. Ensino de História: conceitos, temáticas e metodologia. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003, p. 190.

DEMARTINI, Z. de B. F.; ANTUNES, F. F. Magistério primário: profissão feminina, carreira masculina. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, Fundação Carlos Chagas/Cortez, nº 86, agosto de 1993, pp.5-14.

ESPINOSA-MIÑOSO, Y.. Una crítica descolonial a la epistemologia feminista crítica. El Cotidiano, México, n. 184, mar.-abr. 2014.

GARNICA, A.V. M. Um ensaio sobre as concepções de professores de Matemática: possibilidades metodológicas e um exercício de pesquisa. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 34, n.3, p. 495-510, set./dez. 2008.

GARNICA, A. V. M.; FERNANDES, D. N.; SILVA, H. da. Entre a amnésia e a vontade de nada esquecer: notas sobre regimes de historicidade e História Oral. Bolema. Rio Claro, p. 213-250. 2011.

GOMES FILHO, A. S.; SILVA, L. M. Questões de gênero e sexualidade na educação brasileira. Educationis, v.9, n.1, p.8-16, 2021.

GUARDIA, S. B. Historia de las mujeres: un derecho conquistado. In: GUARDIA, Sara Beatriz. (org.). La escritura da história de las mujeres en la América Latina: el retorno de las diosas. 1ºed. Lima: CEMHAL. 2005.

LOURO, G. L.Gênero, história e educação: Construção e desconstrução. Educação e Realidade. Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 101-132. 1995.

LOURO, G. L.. Mulheres na Sala de aula. In: (Org.) PRIORE, Mary Del. História das Mulheres no Brasil. 3 ed. São Paulo: Contexto, 2000.

OLIVEIRA, F. D. de; GARNICA, A. V. M.. Hemera: uma proposta para a sistematização eletrônica de narrativas. Revista História Oral, Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, p. 41-58, 2016.

PERROT, M. Minha história das mulheres. São Paulo: Contexto, 2019.

PINTO, C. R. J. Feminismo, história e poder. Rev. Sociol. Polít., Curitiba, v. 18, n. 36, p. 15-23, jun. 2010

PORTELLI, A. Tentando aprender um pouquinho: algumas reflexões sobre a ética na História Oral. Proj. História, São Paulo, (15) abr. 1997.

SAFIOTTI, H. I. B. A mulher na sociedade de classes: mito e realidade. Editora Vozes, Rio de Janeiro. 1976.

SALVATICI, S. Memórias de Gênero: reflexões sobre a história oral de mulheres. História Oral, Vol. 8, Nº 1, p. 29-42, jan.-jun. 2005.

SCOTT, J. W.. Gênero: Uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade. Porto Alegre, v. n. 2, p. 71-99. 1995.

Downloads

Publicado

30-12-2023

Como Citar

DE SANTI, T. A.; DA SILVA, H. Narrativas de educadoras matemáticas e atravessamentos de gênero: transgressões e (des)construções. Boletim GEPEM, [S. l.], n. 83, p. 57–77, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufrrj.br/index.php/gepem/article/view/828. Acesso em: 1 mar. 2024.