Raciocínio Argumentativo em Matemática no PISA e na BNCC: uma investigação com estudantes da Educação Básica

Autores

  • Carlos Augusto Aguilar Júnior Universidade Federal Fluminense
  • João Carlos Caldato Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.4322/gepem.2022.008

Palavras-chave:

BNCC, Matriz de Referência, Argumentação e Prova Matemática, Raciocínio, Avaliação

Resumo

O objetivo deste artigo é investigar como os estudantes, a partir dos anos finais do Ensino Fundamental, raciocinam e argumentam sobre algumas afirmações matemáticas. Para isso, inicialmente foram analisados documentos oficiais, uma vez que se buscou articular aproximações entre a BNCC e a matriz do PISA. Inspirados em uma das questões-exemplo da matriz do PISA 2021/2022, empreendemos uma pesquisa exploratória, por meio de um questionário virtual, respondido por 52 alunos da Educação Básica. Dentre os resultados obtidos por meio de uma análise quanti-qualitativa inspirada na tipologia de prova de Nicolas Balacheff, constatou-se que os argumentos   apresentados,   em   grande   parte,   eram   pautados   em   verificações   empíricas. Consideramos que a abordagem destas questões em avaliações de largo alcance estimula o trabalho pedagógico voltado à construção das habilidades de argumentar e demonstrar, importantes tanto para o desenvolvimento em Matemática como também para sua atuação num contexto social mais ampliado.

Biografia do Autor

Carlos Augusto Aguilar Júnior, Universidade Federal Fluminense

Universidade Federal Fluminense (UFF) – Colégio Universitário Geraldo Reis (COLUNI/UFF)

João Carlos Caldato, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PEMAT/UFRJ) e Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ/Nilópolis) 

Referências

AGUILAR JÚNIOR, C. A.; CALDATO, J. C. Argumentação e prova matemática no PISA 2012. In: Seminário de Pesquisa em Educação Matemática do Rio de Janeiro, 4, Rio de Janeiro/RJ. Anais..., 2020, p. 1-14. Disponível em: http://eventos.sbem.com.br/index.php/spem-rj/ix-spem- rj/paper/view/1453/1212. Acesso em: 16 mar. 2021.

AGUILAR JÚNIOR, C. A.; NASSER, L. Analisando justificativas e argumentação matemática de alunos do ensino fundamental. VIDYA, Santa Maria/RS, v. 32, n. 2, p.133-147, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufn.edu.br/index.php/VIDYA/article/view/278. Acesso em: 16 mar. 2021.

ALYRIO, R. D. Métodos e técnicas de pesquisa em administração. Volume único. Rio de Janeiro: Fundação CECIERJ, 2009. 281 p. Disponível em: https://canal.cecierj.edu.br/recurso/6448. Acesso em: 16 mar. 2021.

BALACHEFF, N. Processus de preuve et situations de validation. Educational Studies in Mathematics, n. 18, p. 147-176, 1987.

. Aspects of proof in pupil’s practice of school mathematics. In: D. PIMM (Ed.), Mathematics teachers and children. London: Hodder and Stoughton, 1988, p. 216-235.

BOAVIDA, A. M. R. A argumentação em matemática: investigando o trabalho de duas professoras em contexto de colaboração. 996f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de Lisboa, 2005. Disponível em: https://repositorio.ul.pt/handle/10451/3140. Acesso em: 16 mar.2021.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília, MEC/SEB, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 16 mar. 2021.

. Parâmetros curriculares nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, MEC/SEF, 1998. Disponível em:http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/matematica.pdf. Acesso em: 16 mar. 2021.

. PCN + Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais - Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias. Secretaria de Educação Básica. Brasília, MEC/SEB, 1999. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/CienciasNatureza.pdf. Acesso em: 16 mar. 2021.

CALDATO, J.; AGUILAR JÚNIOR, C. A. Raciocínio Argumentativo em Matemática: uma investigação com estudantes da Educação Básica. In: Encontro Nacional Online de Professores que Ensinam Matemática, 1, Barra do Bugres/MT. Anais..., 2020, p. 1-15. Disponível em: https://matematicanaescola.com/eventos/index.php/ienopem/ienopem/paper/view/118/124. Acesso em: 16 mar. 2021.

CALDATO, J. Argumentação, prova e demonstração: uma investigação sobre as concepções de ingressantes no curso de licenciatura em matemática. 219 F. Dissertação (Mestrado em Ensino de Matemática) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: http://www.pg.im.ufrj.br/pemat/MSc%2090_Carlos%20Caldato%20Correia.pdf. Acesso em: 16 mar. 2021.

CALDATO, J.; UTSUMI, M. C.; NASSER, L. Argumentação e demonstração em matemática: a visão de alunos e professores. RevistaTriângulo, Uberaba/MG, v. 10 n. 2, p. 74-93, 2017. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistatriangulo/article/view/2583/0. Acesso em: 16 mar. 2021.

GIRALDO, V. Que matemática para a formação de professores? Por uma matemática problematizada. In: 13º ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 2019, Cuiabá. Anais... Cuiabá: SBEM, 2019. Disponível em: https://www.sbemmatogrosso.com.br/xiiienem/anais.php. Acesso em: 16 mar. 2021.

GONSALVES, E. P. Conversas sobre iniciação à pesquisa científica. 2 ed. Campinas: Alínea,2001. 80 p.

JOLANDEK, E. G. Reforma curricular, avaliação em larga escala e pisa: um olhar a partir de percepções docentes. 2020. 189 p. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciência e Educação Matemática) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2020. Disponível em: https://tede2.uepg.br/jspui/handle/prefix/3093. Acesso em: 16 mar. 2021.

NOTARE, M. R.; BASSO, M. V. A. Argumentação e prova matemática com geometria dinâmica. Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre/RS, v. 16, n. 1, p. 1-10, 2018. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/86021. Acesso em: 16 mar. 2021.

NUNES, J. S. V; ALMOULOUD, S. A. O modelo de Toulmin e a análise da prática da argumentação em matemática. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo/SP, v. 15, n.2, p. 487-512, 2013. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/14592. Acesso em:16 mar. 2021.

ORGANIZAÇÃO PARA COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). PISA 2021 Matriz de referência de Matemática6.

OCDE, 2018. Disponível em: https://pisa2021- maths.oecd.org/files/PISA%202021%20Mathematics%20Framework%20Draft.pdf. Acesso em: 16 mar. 2021.

SOUZA, M. E. C. O. A questão da argumentação e prova na matemática escolar: o caso da medida da soma dos ângulos internos de um quadrilátero qualquer. 115 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: https://sapientia.pucsp.br/handle/handle/11429. Acesso em: 16 mar. 2021.

Downloads

Publicado

05-01-2021

Como Citar

AGUILAR JÚNIOR, C. A. .; CALDATO, J. C. . Raciocínio Argumentativo em Matemática no PISA e na BNCC: uma investigação com estudantes da Educação Básica. Boletim GEPEM, [S. l.], n. 78, p. 21–38, 2021. DOI: 10.4322/gepem.2022.008. Disponível em: https://periodicos.ufrrj.br/index.php/gepem/article/view/449. Acesso em: 25 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos